Blog Eliane

Dietmar Starke fala sobre as cidades inteligentes em entrevista para a Emag arq
05.04.2018

Dietmar Starke fala sobre as cidades inteligentes em entrevista para a Emag

Em constante busca de soluções inteligentes para as cidades, o arquiteto e urbanista catarinense radicado no Rio de Janeiro, Dietmar Starke, conhece na prática os conceitos de arquitetura como inclusão social.

São quase 30 anos dedicados a projetos e estudos, no Brasil e no mundo, que buscam melhorar a qualidade da vida da população como um todo. Seu trabalho rendeu a Starke o prêmio internacional Architizer A+ Awards de melhor edifício público do mundo.

Em entrevista exclusiva à Emag, o arquiteto detalha ideias e caminhos para um melhor urbanismo.

Dietmar-Starke-fala-sobre-as-cidades-inteligentes-em-entrevista-para-a-Emag-Eliane-Revestimentos

Foto Roberta Dietrich

Emag: Como você define o conceito de Cidades Inteligentes (CI)?

Starke: Como pensar em uma cidade inteligente, onde as oportunidades e os acessos às tecnologias são extremamente desiguais? Não é inteligente uma cidade manter uma grande parte da sua população excluída dos bens e serviços básicos de saúde, educação, cultura e arte, e investir fortunas em políticas de segurança pública e privada.

O conceito da Cidade Inteligente nasceu antes do surgimento das tecnologias de (in)formação e de comunicação – TICs. Penso que as TICs podem ser usadas para viabilizar as políticas de inclusão, de empoderamento e de separação das desigualdades sociais.

Aliás, as tecnologias em geral podem, se houver vontade política. Podemos constatar isso nas Naves do Conhecimento, onde as populações das favelas têm acesso ao que há de mais moderno na arquitetura e urbanismo, o que há de mais moderno em tecnologias digitais.

Cidades inteligentes - Entrevista Dietmar Starke para a Emag

Fotos Joana Bragança

Emag: Quais os desafios para as cidades atuais?

Starke: O mundo possui dois grandes desafios para as próximas décadas. Um é a luta social pela sobrevivência de diversos grupos humanos pobres, que vêm aumentando e aglomerando-se em áreas degradadas da cidade, sem perseverança nenhuma de vida.

O outro é a luta contra a extinção do planeta da raça humana, assim como todas as formas de vida ameaçadas pelas mudanças radicais climáticas provocadas pelo aquecimento global.

A ideia é de conectar os dois problemas, e criar uma resposta criativa, para que estes dois megadesafios possam ser vencidos. Mas a questão é: estamos interessados em realizar mudanças profundas, que mudem o nosso olhar para o mundo?

Queremos nos livrar de viver prisioneiros em condomínios fechados e em carros blindados em nome de acabar com a fome, a violência, a corrupção no país? Precisamos pensar em uma perspectiva ecosófica que envolva a economia, o meio ambiente e o homem para realmente ter uma mudança na relação que o homem estabelece com a economia, com o meio ambiente e com outros homens.

Cidades inteligentes

Fotos Joana Bragança

Emag: Qual o papel do arquiteto e urbanista neste contexto?

Starke: Tem um papel central de fazer uma revolução nas políticas de inclusão através da Arquitetura e do Urbanismo permeadas pelas novas tecnologias, pela sustentabilidade, sempre voltadas a qualidade de vida da população.

E quando falamos em qualidade de vida estamos englobando todos. Não há qualidade de vida com exclusão social. Ou pensamos cidades para todos ou não haverá sustentabilidade e qualidade de vida.

Confira a entrevista completa de Dietmar Starke sobre as cidades inteligentes baixando a sua edição digital da nossa revista Emag aqui.

Eliane-conquista-prêmio-de-sustentabilidade-por-reaproveitamento-de-resíduos pre
31.07.2017

Eliane conquista prêmio de sustentabilidade

A Eliane Revestimentos recebeu na última sexta-feira (28) o Troféu Onda Verde, entregue na 24ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia – o mais importante da área ambiental na região sul do Brasil.

Com o projeto “Resiecologi: Reaproveitamento de Resíduos”, a empresa conquistou a primeira colocação na categoria Gestão Ambiental, sendo a única premiada no setor de revestimentos cerâmicos.

Com foco na reutilização de resíduos gerados no processo produtivo, o programa tem como maior objetivo diminuir os danos ao meio ambiente por meio do reaproveitamento de materiais.

A entrega do troféu aconteceu durante o Fórum de Gestão Sustentável 2017 na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), em Florianópolis, SC.

Foto Marcos Campos.